INE: Proveitos continuam a crescer mais do que o número de visitantes

Quarta-feira, 16 Mai, 2018

Em março, o volume de hóspedes nos hotéis nacionais cresceu 11,6% para 1,5 milhões e o total de dormidas aumentou 10,3% atingindo 4 milhões, segundo os resultados da atividade turística em março divulgados esta terça-feira pelo Instituto nacional de Estatística (INE).

De notar que a subida foi "tão significativa entre os visitantes nacionais como entre os estrangeiros: as dormidas provenientes de hóspedes nacionais cresceram 18,1%, para 221.943, enquanto as dos estrangeiros tiveram um aumento de 16,4%, para 156.889". Olhando para o primeiro trimestre de 2018, o arranque do ano foi positivo. A Páscoa também impulsionou o aumento de turistas externos, tendo-se registado um aumento em março de 8,2% para 2,9 milhões de dormidas. "Sensível à Páscoa", conforme sublinha a nota do INE, este mercado registou um "crescimento expressivo" no mês de Março, com as dormidas de espanhóis em Portugal a verificaram um aumento homólogo de 75,1%. Isto porque as dormidas de residentes (10,5%) aceleraram, superando o crescimento das dormidas de não residentes (6,4%). Já no que se refere apenas ao mês de Março, o INE destaca os crescimentos registados nos mercados norte-americano (+17,7%) e italiano (+10,9%). As dormidas de hóspedes dos Países Baixos (5,0% do total) recuaram 17,1% em Março.

Segundo um comunicado do gabinete da secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, "ao mesmo tempo, mantém-se a tendência de os proveitos crescerem mais do que o número de visitantes". Nos primeiros três meses do ano, este mercado tinha diminuído 11,7%, "dando continuidade às reduções verificadas desde o segundo trimestre de 2017".

A sustentar o crescimento no mês de Março estiveram, além de Portugal e Espanha, também França, com mais 24,8 mil pernoitas (+11,8%, para 235,5 mil), Estados Unidos, com mais 16,4 mil (+17,7%, para 109,2 mil), Brasil, com mais 6,9 mil (+5,2%, para 138,8 mil), e conjunto de "outros mercados" não especificados, com mais 61,1 mil (+12,4%, para 554 mil).

"Tanto a taxa de ocupação como o RevPar [receita por quarto disponível] (+16,8%) registam crescimentos igualmente expressivos".

Na análise por regiões, o Alentejo destacou-se com aumentos de 29,9% em março. Por regiões, o destaque vai para o crescimento superior a 20% no Alentejo, seguido de subidas acima de 10% no Norte e no Centro.

Segundo a agência de estatísticas portuguesa, a estada média (2,64 noites) reduziu-se 1,1% (+4,7% no caso dos residentes e -3,2% nos não residentes).

Em março, a variação face ao período homólogo foi de 17,5%, para 220 milhões de euros.

Por tipologia, o maior aumento do RevPar foi nas pousadas (+32,1%).