Presidente chinês promete maior abertura a empresas estrangeiras

Среда, 11 Апр, 2018

O discurso no Fórum Boao para a Ásia já era esperado como uma das principais declarações de Xi em um ano em que o Partido Comunista marca o 40º aniversário de suas reformas econômicas e abertura sob o comando do ex-líder Deng Xiaoping.

Xi afirmou que a China vai ampliar o acesso ao mercado para investidores estrangeiros, uma importante reclamação dos parceiros comerciais do país e um ponto de discórdia para o governo dos Estados Unidos, que ameaçou com bilhões de dólares em tarifas sobre produtos chineses.

"A porta da China está se abrindo e não se fechando, e se abrirá mais e mais", acrescentou, antes de anunciar uma redução significativa das tarifas para os carros este ano e novas medidas para proteger a propriedade intelectual.

"A globalização econômica é uma tendência irreversível no momento", declarou Xi no fórum.

No mesmo discurso, Xi Jinping não referiu diretamente a disputa, mas prometeu encorajar "o intercâmbio regular de tecnologia" e "proteger os direitos legais de propriedade intelectual das firmas estrangeiras".Na semana passada, os Estados Unidos divulgaram uma lista de importações chinesas avaliadas, no conjunto, em 50.000 milhões de dólares (40.700 milhões de euros), e às quais propõem aplicar taxas alfandegárias, como retaliação pela "transferência forçada de tecnologia e propriedade intelectual norte-americana".

Xi anunciou as mudanças em uma das áreas mais citadas nas reivindicações do presidente americano.

Na OMC correm já duas queixas apresentadas por Estados Unidos e China sobre estas matérias.

Trump também voltou a criticar os acordos comerciais dos Estados Unidos, que chamou de "horríveis", e disse que o país "sairá mais forte" ao final das negociações.

As consultas são a primeira etapa no processo de resolução de divergências que OMC estabelece, algo que pode demorar anos. Já na última quinta-feira, a China apresentou queixa contra a proposta de aumento de tarifas para bens tecnológicos chineses. Limitações à participação de capital estrangeiro deverão ser revistas, principalmente na indústria automobilística.

Lançada em 2015 pelo Banco Popular da China, e aprovada pelo Conselho Estatal, a NIFA é uma entidade auto regulatória cujo objetivo é assegurar o desenvolvimento salubre da tecnologia financeira do país.